Governo de SP quer privatizar Zoológico e Jardim Botânico da capital

Detalhes de como será o processo dos dois parques não foram divulgados; conselho de PPPs fez primeira reunião nesta terça-feira (5).

0
25

O governo de São Paulo informou que pretende privatizar o Zoológico e o Jardim Botânico, ambos na Zona Sul da capital, afirmou nesta terça-feira (5) o vice-governador e secretário de Governo, Rodrigo Garcia (DEM).

Detalhes sobre o plano de privatização dos dois parques, porém, não foram informados. O vice-governador comanda o conselho, que teve sua primeira reunião nesta terça.

“O conselho é composto por todos os secretários, onde, nas suas respectivas áreas, teremos o programa de PPPs [parcerias público-privadas], sobretudo, em especial, Secretaria de Transportes Metropolitanos, Secretaria de Logística e Transportes, Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, a própria Secretaria de Governo, Secretaria de Administração Penitenciária, Secretaria de Esportes, Secretaria de Agricultura, Saúde, Educação e Habitação”, disse o governador João Doria.

Privatização de aeroportos
A reunião desta terça também consolidou a privatização de todos os aeroportos do estado. São no total 25 terminais, sendo que cinco já foram concedidos.

Garcia disse que neste mês irá contratar o plano aeroviário de São Paulo. “A empresa contratada terá até 90 dias para realizar o estudo e viabilidade dos 20 aeroportos”, disse Garcia. Esse estudo levará em conta os seis novos destinos do estado e também o fechamento do Campo de Marte.

A ideia do governo é ter o plano fechado até maio e a partir de junho realizar audiências públicas e licitações.

“Esse plano aeroviário vai nos dar claramente a viabilidade econômica dessas concessões. Às vezes, aeroportos grandes como Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Presidente Prudente e Araçatuba vão ser colocados em concorrência junto com alguns outros aeroportos para dar viabilidade econômica”, disse o vice-governador.

O objetivo é que todas as licitações tenham sido feitas até o final do ano. “O prazo do governador é até o final do ano, não tendo questão judicial, os contratos sejam assinados em todos os aeroportos”, disse Garcia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui