Após forte alta na abertura, taxas dos títulos públicos recuam na tarde desta sexta-feira

0
8

SÃO PAULO – As taxas oferecidas pelos títulos públicos negociados no Tesouro Direto, programa que possibilita a compra e venda de papéis por investidores pessoas físicas por meio da internet, sofriam uma leve correção na tarde desta sexta-feira (8).

Na abertura dos negócios, os papéis tiveram forte alta em meio a especulações sobre as conversas entre os representantes dos EUA e da China para a chegada da primeira fase de um acordo para colocar fim à guerra comercial travada entre os dois países.

Já pela tarde, o presidente americano, Donald Trump, disse que não aceitou reverter o aumento de todas as tarifas sobre produtos chineses. A fala confirmou a visão de que a revisão das tarifas existentes enfrenta dura oposição dentro da Casa Branca.

No Brasil, a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou com um pedido de liberdade para o político petista, após o Supremo Tribunal Federal (STF) revogar a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância.

No Tesouro Direto, as taxas dos títulos públicos recuam em relação aos prêmios desta manhã. Dentre os papéis com retorno indexado à inflação, a taxa do Tesouro IPCA+ 2024 caía de 2,18% para 2,17% ao ano, enquanto o Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2035 baixava de 2,94% para 2,93%.

Entre os títulos com rentabilidade prefixada, a taxa oferecida pelo Tesouro Prefixado 2022 subia de 5,09% para 5,11% ao ano. Esse era o único papel que registrava avanço dos juros. Já o prêmio do Tesouro Prefixado com juros semestrais 2029 cedia de 6,64% para 6,62% ao ano, seguindo a tendência dos outros papéis.

O Tesouro Direto é considerado a opção de investimento com o menor risco no Brasil e com ampla acessibilidade, dado o investimento mínimo a partir de R$ 30. Outra vantagem do programa diz respeito à liquidez, com a possibilidade de recompra diária dos títulos públicos pelo Tesouro.

O investidor pode aplicar em títulos públicos diretamente pelo site do Tesouro, se cadastrando primeiro no portal e abrindo uma conta em uma corretora, como a Rico Investimentos, por exemplo, para intermediar as transações. Atualmente, a maior parte das instituições financeiras habilitadas a operar no programa não cobra taxa de administração.

O único custo obrigatório que recai sobre o investimento em títulos públicos pelo Tesouro Direto corresponde à taxa de custódia, de 0,25% ao ano sobre o valor dos títulos, cobrada semestralmente no início dos meses de janeiro e de julho.

Saia da poupança e faça seu dinheiro render mais: abra uma conta gratuita na Rico

© 2000-2019 InfoMoney. Todos os direitos reservados.

O InfoMoney preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui